Pesque-pague é lazer e diversão garantida para quem visita Joinville

Se você pretende viajar e conhecer Joinville, um passeio completo e divertido é visitar e aproveitar algumas horas num pesque-pague. São cerca de 15 opções na cidade que aliam um pouco de sossego, momentos agradáveis junto à natureza e, de quebra, um almoço caprichado para toda família ou uma porção de peixe frito na hora.

Prefira um dia sem chuva, confira se o pesque-pague que você escolheu está aberto e em que horários e boa pescaria! Em todas as estações do ano, você vai encontrar pescadores natos que adoram pescar e levar seu próprio peixe para casa, seguindo as melhores receitas que passam de pai pra filho. Eles são se Joinville e de cidades vizinhas como Campo Alegre, Curitiba e Jaraguá do Sul.

Mas tem muita gente também que só quer admirar, brincar de pescar e comer ali mesmo. Não importa de qual destes dois times você faz parte, sozinho ou com sua família, é certeza de um dia tranquilo, fazendo um programa diferente das grandes cidades.

São quatro toneladas de peixes à sua disposição

O passeio também pode funcionar como um alívio ao estresse. Porque se você escolher encarar uma varinha, é bem provável que terá que exercitar sua paciência até pegar uma bonita tilápia, por exemplo. A cidade oferece, inclusive, alguns espaços para a modalidade pesque-solte, esta sim como o nome diz, você pesca e devolve o peixe pra água. As crianças adoram.

A maioria desses espaços de lazer ficam na zona rural de Joinville. Mas isso não significa que você vai demorar um tempão pra chegar num deles. No bairro Vila Nova, por exemplo, há um pesque-pague que fica a 15 minutos do Centro, caso a pescaria seja aos finais de semana.

O Pesque e Pague Piraí, que fica na Estrada do Atalho, s/n, logo depois do km 4 da SC-108 (47) 3439-5180, ​oferece uma área muito linda, além de dois restaurantes que juntos têm capacidade para receber em média, 800 pessoas.

Tudo começou com a propriedade de Erico Kath, que entre 1990 e 1996, começou a criar peixes e já recebia clientes no seu pequeno rancho feito de madeira enterrada no barro. Nesta época, a pesca era o único e principal atrativo para os visitantes.

Cerca de 20 anos se passaram e agora, o pesque-pague é administrado pela filha de Erico, Mírian Kath Will. A  estrutura atualmente é grande, os jardins bem cuidados e tudo é feito com muito profissionalismo.

São dois galpões onde são servidas as comidas e bebidas, 3 açudes para pescaria e criadouros de tilápia, carpa e pacu. Várias palmeiras enormes complementam a paisagem. Toda semana, acredite, são repostas cerca de 4 toneladas de peixes nos tanques.

Um dia diferente com pesca, boa comida e bela paisagem

Na hora de se deliciar com o cardápio, há opções para uma dupla e também para famílias ou turma de amigos. O ambiente é pra lá de descontraído garantindo conversas e almoços divertidos.

Refeições completas reúnem, além dos peixes lambari e tilápia, acompanhamentos diversos que vão desde aipim frito com bacon, salada, arroz e feijão até onion rings, bolinho de peixe e batata frita. Tudo preparado em cozinha própria.

Se você não tem material de pesca para levar, não se preocupe, há varas para alugar e são acompanhadas por iscas. Se resolver ir num grupo muito grande, não custa avisar antes e reservar com antecedência um almoço. Você pode até levar um lanche, mas a gastronomia local é um dos encantos deste passeio.

Confira outros locais e telefones:

  • Pesque e Pague Artmann – (47) 99674-9061;
  • Pesque-Pague Krüguer – (47) 99108-6814;
  • Pesque Pague Paraná – (47) 8862-9513;
  • ​Pesque Pague São Francisco – (47) 3428-0484;
  • ​Pesque-Pague Sítio 3 Lagoas – (47) 99108-3623
  • Pesque-Pague Zoller – (47) 3023-8950;
  • ​Recanto do Nono – Pesque e Pague – (47) 3463-1257.

Ficou com água na boca? Então, se hospede no Hotel Bavarium, que tem ótima localização em Joinville e visite um pesque-pague!