Turismo em Joinville: Você sabe o que é sambaqui?

O litoral brasileiro de Santa Catarina abriga os maiores sambaquis do mundo. Mas, afinal, o que é sambaqui? Se você fizer turismo em Joinville e região vai conhecer bem esta expressão e, de brinde, ganhar dias incríveis, seja para descansar ou trabalhar. 

Um pouco de Arqueologia

O conceito de sambaqui encanta adultos e, principalmente crianças e adolescentes em fase de estudos. Dentro da Arqueologia, sambaquis são as montanhas que foram formadas por conchas e restos alimentares que se acumularam num mesmo lugar e por muitos e muitos anos.

As pesquisas sobre o tema indicam que, possivelmente, esse achados reúnem ainda restos de animais e partículas de ferramentas. Tudo isso usado de alguma forma pelas populações primitivas na pré-história. 

Outro dado curioso: os sambaquis aglomeram também resquícios de corpos humanos. Os especialistas acreditam que esta é mais uma prova de que eles funcionavam há milhares de anos também como cemitérios. Interessante, não é mesmo?

O que tudo isso tem a ver com o turismo em Joinville

A maior cidade do Estado de Santa Catarina conta com o Museu Arqueológico de Sambaqui, o MASJ. Criado em 1969, trata-se de uma referência. 

Seu objetivo é a preservação do patrimônio arqueológico brasileiro. Ali se produz grande riqueza de cultura e de conhecimento.

Não é em todo lugar que se encontra uma instituição que reúna tanta informação sobre os povos construtores de sambaquis, que viveram na região há cerca de 5 mil anos ou mais. Porém, é preciso lembrar que há indícios de sambaquis, também na Europa, na América e na África.

Infelizmente, durante a pandemia do coronavírus, o Museu em Joinville está fechado pra visitação. Mas professores e alunos interessados em sambaquis podem continuar pesquisando o assunto sem ir ao local. O telefone pra contato é (47) 3433-0114 Horário comercial. 

Além de Joinville, há outros pontos turísticos que fazem alusão aos sambaquis no litoral de Santa Catarina. Bairro pacato da capital Florianópolis, Santo Antônio de Lisboa é um bom exemplo de colonização açoriana. Temos ali a Barra do Sambaqui e a Praia do Sambaqui. 

A região recebeu milhares de imigrantes entre os séculos XVII e XVIII. Os turistas correm pra lá, principalmente aos finais de semana, em busca das delícias da gastronomia local. 

O forte da culinária voltada aos frutos do mar são as ostras. Quem fica pra ver o por do sol consegue fotos maravilhosas. 

O que é sambaqui? Conheça outras curiosidades sobre o tema

  • As conchas que formaram as montanhas de sambaquis envolviam os moluscos que há milhares de anos eram o alimento das populações da época. Depois de consumidos os conteúdos, as conchas eram jogadas fora.
  • O MASJ foi criado em 1969, mas a inauguração ocorreu em 1972. O acervo do espaço em Joinville tem aproximadamente 45 mil peças sobre a cultura e o estilo de vida relacionados aos sambaquis. 
  • Conhecidos como sambaquis, os morros de conchas eram usados como locais de convivência e abrigavam determinados rituais, além dos sepultamentos. Com bastante criatividade, é possível imaginar os caçadores e pescadores reunidos.
  • Os sítios arqueológicos conhecidos como sambaquis podem ser chamados também de colinas. A maioria tem forma oval. As dimensões vão de 40 centímetros a 15 metros de altura. Somente em Joinville, há 43 sambaquis segundo relatório de 2019.
  • Os sambaquis como estilo de vida foram desaparecendo quando os índios tupi-guaranis começaram a ocupar o litoral brasileiro. Aliás, a própria palavra é de origem tupi. É uma mistura de tamba (conchas) e ki (amontoado).  

Hotel com preço bom em Joinville

Hospedado num hotel com preço bom em Joinville, você poderá saber muito mais sobre os sambaquis. Bem localizado, o Hotel Bavarium fica perto de tudo e oferece um café da manhã colonial de dar água na boca. Ah! E se você for de carro, o estacionamento é gratuito. 

Leia também nosso artigo sobre um pouco da história de Joinville.